Publicidade
Publicidade

1º dia de aventura na Transpantaneira

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail
Ir e Vir de Bike na Transpantaneira

Ir e Vir de Bike na Transpantaneira

Chegamos ao fim do primeiro dia da nossa aventura. Vivos, porém cansados. A pedalada na Transpantaneira, na verdade, começou antes do planejado.

Contando com a sorte e, principalmente, com a boa vontade e a amizade do Amaury, nosso anfitrião em Cuiabá, conseguimos poupar dois dias de pedal e viemos “direto ao ponto”.

Ele nos levou, com as magrelas, hoje pela manhã, até o início da estrada parque da Transpantaneira. Com isso economizamos dois dias de pedal no trecho entre a capital mato-grossense e Poconé, onde a verdadeira aventura tem início.

Nosso cartão de boas-vindas, logo nos primeiros metros da estrada, já nos deixou boquiabertos: um filhote de jacaré na beira de um igarapé e tuiuiús sobre uma árvore; uma visão incrível.

Às 11 horas da manhã, em ponto, invocamos proteção e atravessamos o portal que dá
início a Transpantaneira.

Cicloturistas de primeira viagem, trouxemos bagagem suficiente para sobreviver 3 anos na ilha de Lost. Resultado: as bikes estão pesadas e o esforço tem sido maior do que o planejado. A beleza do Pantanal, entretanto, compensa cada gota de suor. O cenário é simplesmente incrível, coisa de novela!

Hoje pedalamos 45 km e paramos no meio da estrada para dormir. Conseguimos “pouso” na antiga pousada do Pixaim, hoje desativada. Conversamos com o caseiro que nos autorizou a montar acampamento no local.

Daqui a pouco acenderemos uma fogueira e vamos fazer nossa janta: miojo com ervilha enlatada. Por incrível que pareça, estamos, literalmente, no meio do Pantanal. Mas como aqui, bem próximo, existe um hotel de luxo, que recebe turistas do mundo, a operadora de celular Vivo instalou uma torre, que nos garantiu o acesso 3G para publicar esse post!.

Para fechar esse primeiro dia, não posso deixar de registrar o “batismo” da Andreza que, encanada com o cenário esqueceu de olhar para frente enquanto atravessava a ponte de madeira de número 48, já próximo ao Pixaim. O resultado foi um tombo sem ferimentos, algumas lágrimas e depois boas risadas !!!

Nosso plano é acordar amanhã bem cedo. Hoje tivemos a dica de um pantaneiro que a manhã é o melhor horário para avistarmos animais. Com sorte, disse, vamos até onça-pintada!

E por falar nisso, segue a lista de animais avistados:

Tuiuiú
Jacaré
Garça
Biguá
Curicaca
Capivara
Lagarto
Gavião
Cobra
Cateto (porco do mato)

#Fatos

O Pantanal é lindo;
Repelente homeopático de citronela é uma fraude!;
Pontes de madeira são traiçoeiras;
Pantaneiros são hospitaleiros;
O amor verdadeiro resiste a tombos e se fortalece a cada pedalada.

#Fotos
Vejas as fotos do 1º dia da Expedição no meu Facebook.

Publicidade

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *