Publicidade
Publicidade

Audi A3 que matou ciclista tinha duas multas por excesso de velocidade

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail
ACIDENTE_TORRES_01-624x468
Bicicleta do ciclista Osmar da Cunha, morto em atropelamento da Avenida das Torres em agosto. Motorista de Audi A3 dirigia bêbado e em alta velocidade.

O Audi A3 dirigido pelo empresário Savo Cicilovic, que atropelou e matou o ciclista Osmar da Cunha na Avenida das Torres, na última quinta-feira (18), já havia sido autuado duas vezes por excesso de velocidade, de acordo com dados do Departamento de Transito do Paraná (Detran-PR) levantados com exclusividade pelo Ir e Vir de Bike.

Na hora do atropelamento, Cicilovic dirigia embriagado. Ele teria se recusado a fazer o teste do bafômetro, mas a situação foi confirmada pelos policiais. O acidente ocorreu às 6h40 da manhã.

Em setembro de 2010, o mesmo Audi A3 foi multado em R$ 85,11 por transitar em velocidade superior a máxima permitida em até 20%. A infração foi registrada em Balneário Camboriú (SC) e ocorreu durante a madrugada (00h36).

A segunda ocorrência, no dia 08 de julho, foi registrada em Curitiba, também por volta da meia-noite, na esquina da Mariano Torres com Avenida 7 de Setembro. Na ocasião, o veículo transitava com velocidade acima de 20% do limite permitido.

Contabilizadas as infrações após o acidente, o proprietário do veículo acumula quatro multas, uma delas por dirigir sob influência de álcool ou substância entorpecente em limite superior ao permitido pela legislação. O débito total em multas ultrapassa os R$ 1,3 mil.

Em seu perfil no Facebook, o motorista elenca o filme Velozes e Furiosos entre os seus assuntos preferidos. O histórico do motorista deixa claro que o dia do acidente não foi a primeira vez em que ele dirigiu alcoolizado e em alta velocidade.

Ciclofaixa na Av. das Torres
Em um manifesto publicado após o acidente, a Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu (CicloIguaçu) reivindicou a construção de um corredor ciclístico entre Curitiba e São José dos Pinhais, com uma ciclovia decente, moderna e, acima de tudo, segura.

“Que tal obra carregue o nome deste que oxalá seja o último mártir desta insensata estrutura de vida e organização urbana. Queremos o Corredor Ciclístico Osmar da Cunha na Avenida das Torres!!!”, diz o manifesto.

“Que as obras da Copa de 2014, e sobretudo aquelas na Av. Comendador Franco, contemplem efetivamente a dignidade da bicicleta, e com ela a lembrança da fragilidade do corpo humano, coisa que parece estar ausente nos ´velozes e furiosos´ dias em que vivemos”, completa o documento.

Mobilize-se
A CicloIguaçu criou uma campanha através das redes sociais para cobrar do prefeito Luciano Ducci a criação de uma ciclofaixa na Avenida das Torres.

Para participar, escreva pelo Twitter para @LucianoDucci, usando as hashtags #maistintamenossangue, #naofoiacidente, #ciclofaixajá e #pedalaDucci.
Ligue para o telefone da Prefeitura 156 e peça a a construção de uma ciclofaixa na Avenida Comendador Franco.

Você também pode registrar esse pedido pela internet:

“Em decorrência da morte do ciclista Osmar da Cunha, solicito a implantação de uma ciclofaixa em toda a extensão da Av. Comendador Franco (Av. das Torres) para garantir a segurança dos ciclistas, integrando 8 bairros da capital e beneficiando 260 mil moradores que terão segurança para utilizar um meio de transporte sustentável como a bicicleta”

Copie e cole o texto acima e preencha o cadastro com seus dados pessoais. A prefeitura gerará um protocolo que deverá ser respondido.

Além disso, ajude a divulgar essa ideia pelo Facebook, Orkut e Blogs. Também cobre do seu vereador a fiscalização da execução do orçamento municipal para construção de ciclovias e ciclofaixas.

________________________o>°o
Pedale com o blog
Siga as atualizações pelo Twitter.

Publicidade

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *