Publicidade
Publicidade

Cicloturista de Singapura tem bicicleta roubada ao passar por Curitiba

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail

chuaUm ciclista de Singapura que saiu pedalando do Rio de Janeiro com o objetivo de chegar até Ushuaia, no extremo Sul do continente americano, teve sua jornada interrompida precocemente na tarde desta segunda-feira (18), em Curitiba. A bicicleta de Joey Chua foi roubada do estacionamento da Rodoferroviária de Curitiba deixando o aventureiro a pé.

O viajante, de 30 anos, rodou muito antes de chegar à capital paranaense. Saiu de Singapura, largando a rotina estressante de consultor financeiro, para viver o mundo, fazer amigos e descobrir lugares. Desde então, passou pela Inglaterra, Escócia, Holanda e Alemanha. De lá, voou para Salvador na Bahia, esteve em Recife, Natal, Fortaleza e Belém. Desceu o rio Amazonas de barco e foi dar aulas de inglês como professor voluntário para crianças no município de Itaquatiara, no interior do Amazonas. Seguiu para o Rio de Janeiro, onde ficou morando por três semanas na favela do Rio das Pedras. Foi lá que ele comprou uma bicicleta de R$ 280 em um pequeno comércio local – gastou ainda mais R$ 20 em um cadeado de cabo de aço e R$ 70 para colocar um bagageiro e cestinha na bicicleta.

Chua conta que jamais teve medo de ser roubado ou sentiu qualquer risco durante a viagem. “O único problema grave de segurança que tive desde que saí de casa foi quando fiquei completamente sem freio em uma descida na divisa entre o Rio de Janeiro e São Paulo. Tive que frear a bicicleta com os pés na roda e mesmo assim ela não parava, em uma estrada cheia de curvas. Pensei que ia morrer! Mas, fora isso, só tive a ajuda e a solidariedade das pessoas que encontrei pelo caminho”, diz. “Até que roubaram minha bicicleta…”, completa, após alguns segundos de silêncio, soltando um suspiro de tristeza em seguida.

bike-chuaEm Curitiba, o ciclista-aventureiro deixou a bicicleta presa em uma grade em frente ao estacionamento de veículos da Rodoferroviária de Curitiba. “Não encontrei um local adequado e deixei a bicicleta presa lá. Quando voltei e não a encontrei, a primeira coisa que me passou pela cabeça é que a polícia local poderia tê-la recolhido por estar presa em local irregular. Pensei: vou ver como pago a multa e pego ela de volta”, relata. “Mas quando liguei para um amigo, ele riu e explicou que isso não acontece por aqui, e me falou que a bicicleta foi roubada”, relata.

Como sabe que dificilmente vai recuperar a bike roubada, Chua teme ter de abreviar sua jornada pelo continente sul-americano. O plano, depois de Ushuaia, é seguir pelo Chile, Bolívia, Peru e Colômbia – sempre dormindo na casa de amigos que faz pelo caminho ou que conhece através de redes sociais como Couch Surfing ou Warm Showers.

Até a próxima sexta-feira, Chua ficará em Curitiba. Ele agora busca a ajuda de alguém que possa doar uma bicicleta ou qualquer quantia em dinheiro que lhe permita comprar uma nova para seguir em frente.

Como ajudar

Ciclistas, viajantes ou empresários do ramo que quiserem ajudar o singapurense podem entrar em contato pelo telefone (41) 4042-2453 ou pelo e-mail contato@irevirdebike.com.br para saber como proceder.

Publicidade

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *