Publicidade
Publicidade

Fabricante de caminhões incentiva o uso da bicicleta

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail
volvo090905
Programa Volvo de Segurança no Trânsito fala sobre bicicletas.

Uma fabricante de caminhões incentivando o uso da bicicleta? A primeira vista, pode parecer estranho, mas é o que a Volvo está fazendo através do Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST).

A montadora sueca, que tem fábrica instalada na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), abriu espaço para tratar do uso da bike como meio de transporte no dia a dia.

Criado em 1987, o PVST é tido como referência na discussão e mobilização da sociedade brasileira nas questões de trânsito. O programa estimula a apresentação de projetos, idéias e iniciativas que possam salvar vidas e tornar o trânsito mais humano. O uso da bicicleta, definitivamente, é uma delas.

Leia a matéria publicada no site do PVST

Bicicleta no dia a dia? Sim, é possível

A bicicleta é uma ótima alternativa para o trânsito e vários países do mundo já comprovaram isso.

Apesar da frota brasileira de bicicletas ser grande, outros meios de transporte são priorizados no País, como o carro e a moto, e a população não é estimulada a usar bike diariamente.

Mesmo assim, cada vez mais pessoas estão adotando a “magrela” para se deslocar. Este é o caso do jornalista Alexandre Costa Nascimento, de Curitiba, um apaixonado pela bike.

Alexandre pedala diariamente 15 quilômetros pelo trânsito de Curitiba. “Uso a bicicleta para ir de casa para o trabalho, ir ao supermercado ou à padaria. Também uso a bicicleta para o lazer, nos finais de semana, e, durante as férias, em viagens de cicloturismo”.

No percurso que Alexandre faz para ir ao trabalho, a bicicleta ganha do ônibus no tempo de deslocamento. “Gasto em média 40 minutos na ida e volta para o trabalho. Se fosse de ônibus, levaria uma hora. A bicicleta adicionou 20 minutos úteis ao meu dia, tempo que deixo de ficar dentro de um ônibus lotado. Acha pouco? Em um mês são 6 horas e meia. Em seis meses, deixei de passar o equivalente a 1 dia e 16 horas dentro de um ônibus”.

Situação inusitada
Alexandre já sentiu na pele o que é viver uma situação difícil no trânsito. “Já fui atropelado num cruzamento, felizmente sem maior gravidade. O motorista fugiu e não prestou socorro. Então anotei a placa e reclamei com um agente de trânsito, que disse que não poderia fazer nada. Quando insisti, alegando que estava no meu direito de cidadão, o agente alegou que eu o havia desrespeitado e chamou a polícia. De vítima de um atropelamento fui parar na delegacia por desacato a autoridade! Felizmente o Ministério Público percebeu o absurdo da situação e não instaurou o processo”.

Essa situação inusitada não desanimou Alexandre. Defensor do uso da bicicleta, ele mantém um blog na internet no qual compartilha suas experiências.

“A bicicleta vai muito além do transporte e da mobilidade. Bicicleta é uma verdadeira ferramenta de transformação social. Falar da bicicleta hoje é tratar do meio ambiente, do combate ao aquecimento global, da promoção à saúde, de educação para a cidadania e o respeito da vida em sociedade. A bicicleta é capaz de envolver o cidadão com as questões do mundo a sua volta, seja para cobrar por melhorias nas ciclovias, seja pedindo mais segurança no trânsito. A bicicleta ajuda a tornar a cidade mais humana, dando o espaço público de volta às pessoas”.

Saiba mais sobre o Programa Volvo de Segurança no Trânsito.

Publicidade

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *