Publicidade
Publicidade

Pela primeira vez na história, Tour de France terá equipe africana

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail
(Daniel Teklehaimanot/Team MTN Qhubeka)

(Daniel Teklehaimanot/Team MTN Qhubeka)

A prova mais tradicional do ciclismo mundial, o Tour de France, terá pela primeira vez em sua história um time com DNA africano. A equipe MTN-Qhubeka será representada na principal prova por três ciclistas da África do Sul e dois da Eritreia. O evento começa no dia 4 de julho e a largada será dada na cidade de Utrecht, na Holanda.

Entre os ciclistas da equipe está Daniel Teklehaimanot, que ganhou a tradicional camisa de bolinhas de melhor escalador na Criterium de Dauphine, prova que serve de prévia para o Tour de France. Isso mostra que a equipe africana tem chances de fazer bonito e surpreender durante a prova. Merhawi Kudus, também da Eritreia, também compõe a equipe e terá como colegas os sulafricanos Jacques e Reinardt Janse van Rensburg e o campeão sul-africano Louis Meintjes. A equipe contará ainda com um norte-americano (Tyler Farrar), um britânico (Steve Cummings), um norueguês (Edvald Boasson Hagen) e um belga (Serge Pauwels).

Qhubeka/Divulgação

Qhubeka/Divulgação

O time africano tem como principal patrocinador a Qhubeka, ONG que encabeça a campanha #BicyclesChangeLives. A entidade fabrica localmente bicicletas de baixo custo e promove doações de equipamentos para estudantes das escolas públicas na África do Sul e outros projetos sociais. Desde 2005, a entidade já doou mais de 220 mil bicicletas na África do Sul.

A Qhubeka obtém receita de doações e da venda  venda de acessórios do projeto, como as pulseirinhas. A renda é revertida na compra das bicicletas que são doadas para os projetos sociais.

“A maioria da população rural africana não tem pulseirinha-qhubekaacesso ao transporte e as pessoas têm de caminhar longas distâncias para terem oportunidades de acesso à educação, saúde, lojas e serviços comunitários. Escolas rurais são particularmente afetadas pela falta de mobilidade”, diz a entidade. Segundo a Qhubeka, as bicicletas reduzem em 75% o tempo de descolamento das crianças às escolas, aumentam em 5 vezes a capacidade de carregar peso, aumenta em 25% a média das notas escolares e aumenta em 18% a frequência escolar.

Durante o Tour de France, a equipe espera doar 5 mil bicicletas para crianças sul-africanas — 1.755 já foram doadas antes do início da prova. Como se vê, a MTN-Qhubeka já coleciona vitórias antes mesmo da primeira etapa do Tour. Motivos para torcer por eles é o que não falta!

 

Publicidade

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *