Publicidade
Publicidade

Prefeitura coloca totem no lugar errado e não tem data para instalar paraciclo na rodoferroviária

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedintumblrmail

rodoviaria-curitibaO totem indicando uma área de bicicletário na Rodoferroviária de Curitiba trouxe um sopro de esperança para os ciclistas que precisam mas não têm onde estacionar suas bikes no local.

Entretanto, ao invés de sinalizar um espaço útil para quem pedala, a placa é na verdade um símbolo da sucessão de erros e problemas para fazer algo que deveria ser simples.

Tudo começa pela informação equivocada: a placa indica um bicicletário, quando, na verdade, o que haverá na Rodoferroviária será um paraciclo. Não bastasse o uso de nomenclatura incorreta, o totem foi instalado em local errado. Além disso, a obra, que deveria ter ficado pronta antes da Copa do Mundo – junto com a finalização da reforma do terminal –, ainda não tem uma previsão de data para implantação.

Segundo a prefeitura de Curitiba, o projeto inicial da reforma da Rodoferroviária previa um conjunto de paraciclo padrão, com capacidade para oito bicicletas, situado na lateral do terminal, perto do acesso ao bloco estadual, numa área ampla, a poucos passos também do bloco interestadual.

“O totem indicando a instalação de um bicicletário foi colocado, equivocadamente, na finalização da reforma da Rodoviária, que foi entregue em junho. Ele será retirado para troca de local e sinalização indicativa de Paraciclo. Não temos ainda uma previsão de data de implantação, mas estamos trabalhando para que seja o mais rápido possível”, diz a prefeitura, por meio de sua assessoria de imprensa.

Atualmente, a Secretaria Municipal de Obras está licitando outros 25 conjuntos de paraciclos, que serão implantados em diferentes pontos da cidade. O investimento global nestes equipamentos é de R$ 143 mil. A cidade tem hoje oito conjuntos de paraciclos, com capacidade para 80 bicicletas, todos eles instalados durante a gestão do ex-prefeito Luciano Ducci (PSB).

Nomenclatura

Há diferenças substanciais entre um bicicletário e um paraciclo. O primeiro se caracteriza como estacionamento para bicicletas de longa duração, com grande número de vagas e controle de acesso, podendo ser públicos ou privados, pago ou gratuíto. Já os paraciclos são equipamentos para estacionamento rotativo ou de curta duração, com até 25 vagas, de uso público e sem qualquer controle de acesso.

Publicidade
No Comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *